segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

VIOLÊNCIA NA MANGUEIRA ; HOMICÍDIO DO LADO DA UPP E ASSALTO A POLICIAL MILITAR

A morte do traficante Acir Ronaldo Monteiro da Silva, o 2K, provocou manifestações de luto no Morro da Mangueira, na Zona Norte do Rio. O comércio da comunidade amanheceu, nesta segunda-feira, com as portas fechadas. Acir era do tráfico na favela e foi um dos homens que invadiu a quadra da Mangueira, em março de 2012, para impedir a a eleição para presidente da escola de samba. Ele foi assassinado com tiros de metralhadora em frente ao condomínio de luxo onde morava, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste da cidade. - O que a gente faz é segurança para que o comércio possa funcionar. Estamos aqui para garantir isso. Mas a polícia não pode obrigar os comerciantes a abrirem - disse o capitão Leonardo Nogueira, comandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Mangueira e do Tuiuti. Além do comércio fechado, outros crimes ocorridos na Mangueira durante a madrugada podem ter relação com a morte de Acir e são investigados pela Divisão de Homicídios (DH). Por volta das 3h, dois bandidos de moto renderam um PM perto do contêiner que serve de sede para a UPP do Tuiuti. Os criminosos levaram a pistola do policial e, logo depois, ao lado do contêiner, mataram um homem identificado como Jefferson Fernandes de Oliveira. Ainda não se sabe se a arma do policial foi usada no assassinato. Outra morte ocorreu na Rua Benedito Ottoni, em São Cristóvão, nas proximidades da Mangueira. Um carro foi incendiado com um corpo no porta-malas. O cadáver não havia sido identificado até o fim da manhã. Por causa dos episódios de violência, o policiamento na Mangueira foi reforçado por equipes das UPPs do Jacarezinho, de Manguinhos e da Nova Brasília, todas na Zona Norte da cidade. Assassino mascarado A morte de Acir também está sendo investigada pela DH. Segundo informações recebidas pelos agentes, o atirador estava mascarado e desceu de um Golf azul marinho. O traficante, que seguia para um quiosque com a mulher, morreu na hora. De acordo com a polícia, ele cumpria regime semiaberto desde 2010, se apresentando em juízo de três em três meses. Ele também é suspeito de fornecer drogas para a região do Recreio. A Polícia Civil informou que pediu medidas cautelares para Acir à Justiça, mas todas foram negadas Segundo uma investigação da 17ª DP (São Cristóvão), no dia da eleição na Mangueira, Acir invadiu a quadra da escola e tentou tomar o poder. Ele teria dito que Ivo Meirelles não assumiria o cargo e que os novos presidente e vice-presidente da agremiação seriam, respectivamente, Marcos Oliveira e Nilton Oliveira Andrade. FONTE: http://extra.globo.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário